CARTA ABERTA ABEFORM

A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE FORMATURA (ABEFORM), enquanto entidade que representa as empresas do segmento de formaturas em âmbito nacional, vem a público se manifestar sobre a possibilidade de novas medidas restritivas voltadas à realização de eventos, conforme noticiado recentemente, além de compartilhar a situação atualmente enfrentada pelo setor, a partir das dificuldades impostas pela pandemia de COVID-19.

Desde seu início, há cerca de 2 anos, a pandemia causou a morte de milhões de pessoas e danos incalculáveis à economia, ocasionando o fechamento de empresas e a perda de empregos que garantiam um sustento digno a tantas famílias. O setor de eventos em geral, e de eventos de formaturas em particular, foi um dos mais afetados pelas medidas restritivas adotadas pela administração pública, tendo sido o primeiro a paralisar suas atividades, e o último a retomá-las (ainda que de forma parcial).

Como tem se divulgado, os dados mais recentes apontam para um aumento expressivo no número de novos casos, por conta da variante ômicron, muito mais contagiosa. Esse aumento estatístico, contudo, não pode ser analisado fora de contexto, já que, tanto os efeitos da doença, quanto a situação da saúde pública no país, são completamente diferentes do que se viu anteriormente. 

Em relação à vacinação, o Brasil tem uma das maiores taxas de população imunizada contra o COVID-19 no mundo, com cerca de 70% da população já vacinada em duas doses. Esse dado é extremamente relevante, já que o avanço da vacinação permitiu que os indicadores de casos graves e/ou óbitos chegassem nos patamares mais baixos desde o início da pandemia, mesmo com o avanço da nova variante ômicron.

Apesar do aumento de novos casos, esse aumento não foi refletido no número de casos graves e/ou óbitos, o que tem mantido as condições gerais do sistema de saúde sob controle, apontando para uma maior resistência imunológica ao vírus, que, aliada às características da nova variante ômicron (menos agressiva), indica um cenário de melhoria – e essa não é uma constatação imparcial ou inconsequente.

A ABEFORM foi a primeira entidade do setor a sugerir a suspensão dos eventos, logo no início da pandemia, já que não faria o menor sentido celebrar a formatura colocando as pessoas mais importantes da vida do formando sob o risco de contágio, principalmente em um momento em que não existiam informações, medicamentos, vacinas e tampouco estrutura hospitalar para enfrentar o que estava por vir. Aliás, a Associação jamais resistiria a qualquer medida voltada à proteção da saúde pública e da vida.

É justamente por compreender os fatos atuais dentro do contexto já apresentado que a presente manifestação é tão importante: a ABEFORM não pode silenciar diante de medidas restritivas extremamente prejudiciais aos seus associados, muitos dos quais encerrarão suas atividades se a realização de eventos for novamente proibida, sem que exista uma justificativa sólida para as referidas restrições.

A iniciativa de parte da administração pública no sentido de aumentar as restrições ao setor de eventos, em razão do avanço da variante ômicron, é no mínimo precipitada, e poderá prejudicar ainda mais milhões de famílias, já fragilizadas, que poderão perder o pouco que sobrou de dignidade e subsistência.

São empresas e famílias relacionadas a inúmeras atividades, como a montagem de palco, iluminação, limpeza, decoração, buffet, atrações artísticas, foto e vídeo, segurança, dentre muitas outras atividades direta e indiretamente afetadas pelas restrições já mencionadas, que não podem ser tratadas com desrespeito.

O processo de retomada dos eventos de formatura foi racional e cauteloso, sempre considerando os indicadores epidemiológicos, sendo ilógico que neste momento, de forma tão abrupta, seja proibida a realização dos eventos planejados há anos, ignorando a especificidade de cada atividade. 

Depois de dois anos de remarcações de eventos, toda a cadeia econômica do segmento (produtores, fornecedores e consumidores) não apenas anseia, mas, precisa que as atividades sejam retomadas e mantidas.

Os países que já estão enfrentado a variante ômicron há mais tempo mantiveram os eventos em funcionamento, resguardando a atividade econômica por meio de políticas públicas específicas, importantes e eficientes, como aceleração do programa de vacinação, a exigência dos comprovantes da imunização, de testes negativos – medidas adequadas e suficientes, em vez de populistas e intransigentes.

O nosso setor representa o emprego de mais de 6 milhões de pessoas e movimenta mais de 7 bilhões de reais por ano, não é justo que a população brasileira integrante do setor de eventos, que há dois anos amarga com as restrições que foram necessárias, continue sofrendo sem que haja elementos concretos.

Por estes motivos, a ABEFORM defende a manutenção das atividades do segmento, de forma segura, observando-se com rigor as exigências quanto à apresentação do comprovante de vacinação das duas doses para a participação em eventos.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE FORMATURA

5 comentários em “CARTA ABERTA ABEFORM”

  1. Estamos trabalhando, respeitando todas as medidas de segurança, em nosso eventos realizados fazemos o controle de temperatura, solicitamos a apresentação do cartão de vacinação, colocamos álcool em gel em vários pontos, e respeitamos o limite de pessoas estalecido pelos órgãos responsáveis, ou seja além de sabermos como ninguém organizar eventos, sabemos das nossas responsabilidades.
    Deixem nosso setor trabalhar e recuperar esses 2 anos, que fomos os primeiros a parar e os últimos a voltar .

    1. o setor de eventos de forma super rígido realiza os eventos com todos os protocolos de segurança e garantem a segurança a saúde dos envolvidos nos eventos …. Hoje o transporte público e muito mais contaminante !!! Logo este setor sera dizimado com nova onda de restrições e cancelamentos ,,,

      Empregos e saúde mental de todos envolvidos , diretores , colaboradores , terceirizados e clientes serão afetados ,,,

      Que neste momento haja calma para manter os eventos que conseguem gerir os riscos ,,,

      Opinião de quem teve a experiência de 7 dias entubado e 8 dias / Itú hospital …

      Que Deus nos de luz e sabedoria para enfrentarmos está pandemia …

  2. Esperamos sinceramente medidas severas dos nossos governantes no combate à pandemia.
    Fechar empresas, proibir eventos sociais novamente não será uma solução.
    Deus abençoe e guarde a vida e saúde de todos. 🙏🙏🙏

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *